? ºC Porto Velho - RO

Geral

20/11/2018 09:52

Erika Januza desabafa após sofrer ataques racistas: 'Desejo de ação é maior que a tristeza'

Superar é algo que faço todos os dias". Com essa frase em mente, a atriz Erika Januza tenta seguir em frente após sofrer ataques racistas na web. O caso, que aconteceu no fim de outubro, pegou a participante do Dança dos Famosos de surpresa. Tudo começou com uma postagem do ator Caio Paduan, onde uma internauta atacou a musa. Ao Gshow, Erika falou sobre o ocorrido.

"Esse tipo de comportamento das pessoas sempre me revolta muito. O desejo de ação é sempre maior em mim que o de tristeza. Vontade de fazer alguma coisa para resolver, vontade de falar, desabafar. Mostrar às outras pessoas que dizem que racismo não existe e que é 'mimimi' que ele existe sim. Acontece todos os dias. No meu caso, como pessoa pública, ainda consigo fazer com que o fato apareça. A questão é: e os milhares de brasileiros que passam por diversas situações e sofrem agressões no seu dia a dia, através de gestos, palavras ditas e não ditas, olhares. O racismo está nas mais diversas atitudes, infelizmente entranhado em nosso dia a dia", fala a atriz.

Após denunciar o caso na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, Erika relembra como ficou sabendo do caso e diz que conversou com o ator Caio Paduan.

 

"Quem me contou (sobre o ataque) foi o meu professor do Dança, Elias Ustariz. Entrei em contato com Caio. Conversamos e ele me disse que inclusive também levou o caso à polícia. Ele sempre foi muito consciente. Vivemos diversas situações e questionamentos durante nosso último trabalho juntos em O Outro Lado do Paraíso", explica.
 

Quase um mês após o ataque, a musa busca forças para não se abater e seguir na luta contra o racismo.

"Me entristeci fazendo uma retrospectiva das diversas coisas que já passei como mulher negra. E amo ser negra. Me sinto única! Não apenas esta situação, mas tantas outras que enfrento em minha vida. Situações que só quem é negro sabe. Coisas cotidianas, mas que estão ali. Talvez o racista assumido e racista velado nem saibam o que passamos. E nem precisam saber. O que precisam saber é que somos maiores que todo ódio, toda maldade. E saber que racismo é crime", fala.

 

"Superar é algo que faço todos os dias. Os negros se superam todos os dias"

Após pensar e repensar diversas vezes sobre os ataques, Erika só chegou à uma conclusão. "O racismo em nosso país está enraizado. Os anos passam, ele se camufla, mas desaparecer jamais". E no Dia da Consciência Negra, festejado neste dia 20/11, a musa faz um apelo a todos.

 

"A Consciência deve existir todos os dias!"

 

Como acabar com o racismo?

"Acredito muito na educação e nem digo apenas a escolar, pois a base começa dentro de casa. Enquanto as famílias não mostrarem às crianças a importância do respeito e da igualdade com o próximo, que as diferenças existem sim, mas devem ser respeitadas, que cada pessoa é única e tem suas características e individualidades, as escolas não conseguirão fazer isso sozinhas. Além da conscientização das pessoas em respeitar as outras, em não subjugar o outro. Políticas de inclusão também, pois o nível de desigualdade é altíssimo e desleal e a população negra sempre tem as menores oportunidades, os salários mais baixos, maior dificuldade em se escolarizar e competir com o mercado. Inclusão e respeito", desabafa.

Mensagem aos que convivem com o racismo

"Força sempre! Nossos antepassados já sofreram demais por nós e hoje temos como herança a liberdade que ninguém pode nos tirar. O direito de sermos melhores e melhores a cada dia. De sermos exemplos e orgulho para as próximas gerações. Que sejamos maiores que qualquer sistema opressor. Pequenos são os racistas. Somos grandes. E respeito acima de tudo, não se deixe levar por atitudes tão pequenas. Racismo é crime, haja da maneira certa, não tenha medo e denuncie.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo